PRODUCT

MANAGEMENT

PROJETOS ÁGEIS

ESTATÉGIA DIGITAL

MIDIA &
ACELERAÇÃO DE VENDAS

UX &
UI

SERVICE DESIGN
& DESIGN THINKING

BRANDING

UI &
DESIGN GRAFICO

2006

2018

últimas experiências

 3º Setor | Governo |

 Alimentícios | Varejo |
PMEs |Telecom | Energia |
Cultura | Educação |Moda |

Varejo | Bancos
Agroindústria | Benefícios |
Meios de Pagamento |
Serviços Financeiros 

quer saber mais?

dá uma olhada no meu cv: linkedin.com/in/jubessler

tá curtindo?

fala comigo lá no jubessler@gmail.com

Uma vez me perguntaram “mas você faz marca ou você faz estratégia?”, como se as duas coisas pudessem de alguma forma estar separadas. Da mesma maneira, ainda luto para compreender a divisão entre criação e planejamento empregada pela publicidade e - mais recentemente - o branding como setor separado de tudo isso. Formada em Design, fui construindo uma carreira que buscava acumular ferramentas de pesquisa e estratégia, passando pelas áreas de Branding, Inovação e Novos negócios. Essa confusão entre profissionais de marca e profissionais de negócios impede a colaboração eficiente entre os dois. Estrategistas de branding precisam desenvolver métodos para quantificar o impacto de seu trabalho, não apenas como justificativa de sua contratação mas também como meio de auto-avaliação e melhoria. Por outro lado, CEOs, CFOs, gerentes, presidentes, empreendedores e empresários devem ficar atentos à importância de um trabalho de marca consistente.

Nos últimos anos assistimos o conceito de Marca crescer de uma maneira vertiginosa. Não apenas para empresas, mas para países, partidos políticos ou mesmo indivíduos. O ponto é que o branding surge da necessidade de trabalhar a marca como um parte fundamental do negócio. Expressões como “brand equity” ou “brand valuation” são indícios da tentativa de mensurar as dinâmicas subjetivas que levam o público a efetuar uma compra. É necessário compreender que recursos intangíveis não são passivos dentro de uma empresa. A idéia de valor está hoje ligada muito mais a fatores emocionais do que racionais e a precificação deve considerar muito mais do que o custo.

O que é ajudar uma empresa? Para mim, ajudar empresas parte do mesmo princípio que ajudar pessoas, isto é, unir desejo e capacidade, tornando projetos e intenções em realidade. Vamos trabalhar juntos?

mais uma prosa